Em razão de denúncias de que a personagem Momo aparecia em vídeos incentivando a auto-mutilação, em alguns casos até fatais, de crianças, o YouTube reduziu o alcance e a monetização de vídeos com a personagem ou o desafio.

No Brasil, pais relataram à revista Crescer que Momo apareceria em vídeos infantis e incitava a cortar os próprios pulsos. A revista consultou o YouTube, que, por meio de um comunicado, afirmou não ter encontrado nenhum link no qual a personagem promoveria seu desafio.

“Vídeos incentivando desafios prejudiciais e perigosos são claramente contra nossas políticas, incluindo o desafio Momo. Apesar dos relatos da imprensa sobre esse desafio, não tivemos links recentes sinalizados ou compartilhados conosco do YouTube que violem nossas Diretrizes da comunidade”, diz a nota do YouTube, à Crescer.

À revista norte-americana The Verge, o YouTube informou, no início do mês, que qualquer conteúdo com Momo é considerado uma violação às diretrizes de conteúdo para anunciantes da plataforma. Isso inclui mesmo os vídeos de noticiários. Além disso, mensagens de alerta de que o conteúdo é sensível também aparecem antes das reproduções.

Fonte: Correiodopovo / Foto: Reprodução Internet

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here