Nos últimos anos manter uma alimentação saudável tem sido a grande procura dos brasileiros, entrando no gosto popular o veganismo e o vegetarianismo. De acordo com pesquisa realizada pelo Ibope no ano de 2018, encomendada pela Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB), os adeptos da alimentação vegetariana somam 30 milhões no Brasil (14% da população brasileira). A entidade estima que, dos 30 milhões de brasileiros vegetarianos, cerca de 7 milhões seriam veganos (3,2% da população).

Mas você sabe a diferença entre eles? Conversamos com a nutricionista Luciana Piccolo sobre as características de cada modalidade e qual a maneira correta de manter uma alimentação equilibrada. Uma prática muito adotada é o vegetarianismo que prevê uma dieta sem carne, seja ela bovina, de frango, peixe ou outro animal. Incluindo ovo, leite e derivados podem ser consumidos.

Já o veganismo por outro lado, busca excluir, sempre que possível, todas as formas de exploração e crueldade contra os animais. Abrangendo além da alimentação, o vestuário, produtos de higiene, entre outras esferas de consumo. Veganos, por exemplo, procuram remédios/shampoos que não tenham tido testes em animais.

Para Luciana o primeiro passo para quem deseja adotar umas das modalidades é a busca de um profissional para realizar um acompanhamento para que a saúde não seja comprometida.

“A partir do momento que a pessoa opta por excluir os alimentos de origem animal de sua dieta, é necessário estar consciente que pode haver algum tipo de carência nutricional. É de suma importância realizar um acompanhamento, onde são realizados exames que verificam o perfil químico, vitaminas e minerais. Tudo para manter a saúde em dia e equilibrada”, destaca a nutricionista.

Segundo Luciana, o paciente deve buscar ter uma dieta rica em legumes e verduras com quantidades de frutas, além de muita ingestão de água, aliada a prática de exercícios físicos. É preciso manter um equilíbrio tanto físico como emocional para que isso não prejudique a saúde.

“O que a pessoa não pode esquecer é de que ao eliminar os produtos de origem animal, requer substituir por outros produtos com carboidratos podendo assim sobrecarregar o corpo por causa da ingestão de farináceos que aumentam a liberação de glicose”, comenta Luciana.

Muito tem se comentado de inserir esses hábitos para as crianças, para Luciana, quando iniciado cedo a mudança da alimentação mais fácil é a inserção de alimentos saudáveis no cardápio dos filhos, favorecendo assim, um bom funcionamento do corpo além da prevenção de doenças.

Os ‘novos’ vegetarianos e veganos buscam, cada vez mais, estabelecimentos que ofereçam serviços e produtos que não contenham ingredientes de origem animal. Para Luciana essa tendência só tem a aumentar com o passar do tempo, já que o novo estilo de vida durante a pandemia exigiu muitas mudanças de hábitos e costumes.

“Sempre escolham profissionais qualificados antes de iniciar uma mudança na alimentação. Acredito que uma alimentação rica em gorduras boas, com verduras e legumes variados, pouco carboidrato refinado e boa ingestão de água seja uma ótima base de equilíbrio e alimentação saudável”, afirma Luciana.

Em Caxias do Sul é possível encontrar algumas delícias no Natureba, Trigais e Lechuga, que fazem tanto pratos veganos como vegetariano. Quanto a produtos de higiene, a marca B.O.B desenvolveu shampoo e condicionadores em barra veganos e sem plástico você encontra no site usebob.com.br. A doutora Luciana atende em Caxias do Sul e as consultas podem ser feitas pelo telefone (54) 3535 2828.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here