É consenso entre os ciclistas que já percorreram os trajetos da etapa brasileira da principal maratona de ciclismo amador do mundo: os desafios e o cenário cinematográfico presentes ao longo do percurso devem tornar essa uma das edições mais emblemáticas do GranFondo New York. O GFNY Bento Gonçalves-RS ocorrerá no dia 16 de outubro, domingo, mas diversos ciclistas já estão, literalmente, na estrada para aquecer e reconhecer os trechos a serem percorridos.

Exemplo disso é o grupo de cerca de 30 atletas que aproveitaram o feriado de Corpus Christi (16 de junho) para pedalar pelos seis municípios que fazem parte do percurso – Monte Belo do Sul, Santa Tereza, Garibaldi, Carlos Barbosa e Farroupilha (além da cidade anfitriã). Vindos de cidades diferentes gaúchas, os ciclistas se reuniram próximo ao ponto de largada da prova (o Parque de Eventos de Bento Gonçalves), próximo às 8h. Eram atletas da Federação Gaúcha de Ciclismo, que participam, ou já participaram, da elite do Campeonato Gaúcho de Ciclismo e do Campeonato Brasileiro de Ciclismo Master – além de praticantes amadores, membros de grupos de ciclismo da região.

Ciclistas como Rafael Rosa, campeão do Campeonato Brasileiro de Ciclismo na prova de Resistência (na categoria Máster B1, em 2017, e B2, em 2021), da Elite Gaúcha em 2018 e medalha de bronze no Pan Americano Master de 2019. Estreante no GFNY, espera encontrar na etapa em solo gaúcho um trajeto bem técnico e desafiador. “Há trechos de terra, paralelos, curvas, descidas rápidas e muitas subidas. Se for calor no dia da prova, certamente vai desafiar até os mais experientes. É um percurso muito bonito, com parreirais por todos os lados, visual das montanhas. Vai ser incrível”, detalha.

Aos 47 anos, lidera uma equipe de ciclismo com 15 atletas, que está em 3° no ranking gaúcho por equipe. Por isso, tem know how para avaliar pontos chaves do trajeto. “Considerando os elementos técnicos e o duro trajeto, acredito que isso trará muito emparelhamento de atletas ao longo da prova, assim, uma boa identificação do percurso é crucial – característica de eventos do nível do GFNY. Posso destacar o trecho de descida entre Monte Belo e Santa Tereza, que é bastante técnico e exigirá atenção redobrada para amadores em geral”, avalia.

Já Endrigo da Rosa Pereira, de 28 anos, participou de jogos do Pan Americano, pela equipe da Secretaria de Esportes de Indaiatuba-SP, e acumula nove convocações para a seleção brasileira de ciclismo de estrada e pista e seis títulos de campeão brasileiro. A avaliação de quem já percorreu inúmeros percursos mundo a fora é a de que a etapa brasileira do GFNY será emblemática. “Com certeza vai ser fenomenal. Claro, é um percurso bem duro, por ter muitas subidas e algumas partes de paralelepípedos. Mais nada que seja perigoso, a ponto de colocar os atletas em risco. Acredito que a grande parte deles vem com o intuito de se superar”, considera.

Quanto às paisagens, Endrigo reforça o consenso de quem conhece a região. “Será de tirar o fôlego dos atletas. Não são uma nem duas: são várias paisagens incríveis ao longo do percurso. Se eu, que sou gaúcho e moro na região, já fico impressionado com as belezas da Serra, certamente quem vem de fora ficará ainda mais surpreendido positivamente”, relata.

O ciclista também elenca três pontos que merecem atenção ao longo do trajeto. “O primeiro ponto chave já começa logo nos primeiros quilômetros, no início do Caminho de Pedras, por ser uma rota turística, que com certeza vai chamar muito a atenção pelas belezas. O segundo ponto é todo o Vale dos Vinhedos, no sentido Monte Belo do Sul. Ao chegarem lá, os atletas estarão no topo e poderão olhar toda a vista do vale e ver a cidade de Bento Gonçalves do alto. Com certeza vai ser o diferencial. E, por fim, a subida de Santa Teresa, com toda aquela visão dos plátanos ao longo da estrada”, revela. Ele ainda crava: “a volta do GFNY ao Brasil será a subida de mais um degrau para o nosso esporte a nível nacional”.

Para um dos organizadores do treino de reconhecimento e embaixador do GFNY Bento, Orlando Isidoro Baú, a realização da etapa na cidade é um marco capaz de deixar um legado importante para a microrregião. “Os ciclistas encontrarão trajetos desafiadores, mesmo que acessíveis a todos. É preciso chegar com tempo, conhecer a cidade e aproveitar o que Bento tem a oferecer. Será um percurso que exigirá técnica, pelos trechos de subidas, descidas, paralelepípedos e chão. Como legado, esperamos que haja mais respeito ao ciclista, abrindo os olhos da própria comunidade e das lideranças políticas para a importância desse esporte”, reforça.

Sobre a prova
Os percursos da GFNY Bento Gonçalves passarão, além da cidade anfitriã, por Monte Belo do Sul, Santa Tereza, Garibaldi, Carlos Barbosa e Farroupilha. No trajeto longo, de 141 km, a altimetria será de 3.152 metros. Na versão mais curta, cujo percurso será de 80 km, o ganho de elevação chegará a 1.526 metros. A largada da prova será às 7h do dia 16 de outubro, no Parque de Eventos de Bento Gonçalves.

Todos os participantes do GFNY Bento Gonçalves largam ao mesmo tempo e contam, durante o trajeto, com um suporte que vai de atendimento mecânico e médico a estações de alimentação e hidratação. Os resultados são baseados em tempo total, com premiação para os vencedores e pódio dividido por grupos etários. Os campeões gerais, feminino e masculino, receberão como prêmio uma viagem completa para New York, com direito à participação no encontro que deu origem ao GFNY. A organização do evento, cujas inscrições estão disponíveis pelo site bento.gfny.com, é da Global Sports Eventos Esportivos.

Fonte: Exata Comunicação e Eventos / Foto: Divulgação

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here