Atire a primeira pedra quem não usou o loiro cor de ovo nos anos 2000, direto da farmácia e retocado de 15 em 15 dias. E, anos depois, se jogou fazendo as mechas zebradas, largas e com muito contraste. Assim como no vestuário, cabelo também muda conforme as últimas tendências. E para saber o que fazer nas madeixas no segundo semestre sem cometer erro, fomos conversar com a cabeleireira Aline Meotti, especialista em loiros.

Se você quiser arrasar nas próximas estações, vale apostar nas frentes e contornos iluminados, para preservar a cor e o cabelo natural. O loiro dourado, também está cada vez mais presente nas mechas e o morena iluminada, inclusive com um pouco mais de luz, é tiro certeiro. “As mechas mais pedidas nos salões são as mechas sem marcações na raiz, com efeito natural e cores mais quentes. A pegada da vez é naturalidade e saúde para os fios.”, reforça Aline.

E sobre as técnicas, descobrimos que não só a touca está perdendo a vez nos salões, mas também o o alumínio. “O mais utilizado são os papéis vegetais e as isomantas, que são papéis que não liberam metal nos fios. Mas cada cabelo precisa de uma avaliação para a melhor indicação.”

A dúvida de muita gente é se o loiro fica bem para todo mundo e Aline responde: “Não fica bem para todo mundo não, cada cabelo deve ser avaliado junto com a cor da pele e dos olhos. Além disso, o gosto da cliente também é o mais importante. Ou seja, se sentir bem e linda é o que importa.”

A profissional ressalta que o retoque das mechas é indicado no máximo duas vezes no ano, para preservar ao máximo os fios. Então nada de se importar com a raiz crescida. Dentro desse período os cuidados devem ser diário, usando produtos profissionais e hidratando os cabelos no salão. “Um cabelo descolorido, nunca será igual ao cabelo natural, quando falamos em saúde. Porém, se cuidado como indicado, se manterá sempre saudável e íntegro. Apenas requer muito mais cuidados. Para um loiro saudável é importantíssimo usar o shampoo e condicionador adequados para o tipo de cabelo, além de um reconstrutor semanal e um protetor térmico todos os dias. Se o cabelo estiver muito danificado, não é possível fazer mechas. Primeiro é feito um cronograma capilar para recuperar a fibra e depois é avaliado a possibilidade da descoloração.”

O loiro naturalmente vai oxidar com o tempo. Para que a cor fique sempre bonita, é preciso seguir um cronograma de hidratação e tonalização com o seu cabeleireiro. Matizar em casa é possível porém, é preciso muito cuidado na escolha no produto por isso consultar seu cabeleireiro é importante. Loiro e progressiva não combinam, não tem jeito. “Opte sempre por um ou outro.
Se for loira sempre prefira por hidratar ao invés de alisar.”

E não vale mentir quando for ao salão: “Sempre é necessário uma boa conversa sincera com seu cabeleireiro, ele precisa saber quais as químicas você tem nele. Se ficar na dúvida sempre peça um teste de mechas. Seu cabeleireiro sempre saberá quando for necessário fazer.”

E a dica final da Aline é para o verão: abusar de produtos com proteção UV, afinal não é só a pele que queima, nosso cabelo também precisa de proteção.

E aí, vai se jogar nas mechas agora? A Milena resolveu encarar o descolorante e ficou incrível. As meninas da Única apostaram em um moreno iluminado, preservando muito a cor natural, apenas iluminando alguns pontos específicos, trazendo um jogo de luz e sombras, que ressaltaram ainda mais cor dos olhos e a beleza dela. Ficou lindo, não é?

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here