Recentemente participei da tradicional Semana de Design de Milão, na Itália. Normalmente esse evento acontecia em abril. Porém, devido à paralisação da pandemia, nas duas últimas edições anteriores, o evento mudou a agenda para junho.

O charme e o talento de profissionais que fazem a diferença no mercado continuam em evidência neste grandioso evento.

Para nós, arquitetos, não há como dissociar a Semana de Design de Milão da história do design.

Responsável por apresentar ao mercado mundial o futuro do mobiliário e do design, essa semana de efervescência criativa destacou as inovações desenhadas por novos talentos e grandes marcas.

Salone del Mobile
O principal destaque da Semana de Design de Milão é o Salone del Mobile (iSaolini 2022), que esse ano realizou a 60ª edição. É a maior “vitrine” de lançamentos e tendências para todas as casas ao redor do mundo. O Fiera Milano Rho, conta com mais de 200 mil metros quadrados de feira e 2.083 expositores.

Além disso, paralelo ao Salone, há o “Fuorisalone”. Trata-se de um movimento realizado pelos distritos de Design de Milão. Neste ano essa ação abrangeu seis bairros da bela cidade, totalizando mais de 160 eventos entre exposições, palestras e instalações.

Posso dizer que as caraterísticas mais admirados por mim do design italiano sempre foram: qualidade, inovação e beleza.

Reconectar, relançar e repensar
Há mais de dez anos visito a Semana de Design, mas, nesse ano, diferente a todas as edições anteriores, havia uma preocupação real com a vida pós- pandemia.

A reflexão do reconectar, reeditar, relançar e repensar fez com que saíssem deste evento poesia em modelo de “prototipagem”. Além disso, na maioria dos lançamentos apresentados, houve muita concordância com a sustentabilidade aplicada de várias formas.

Durante o evento, a presidente do Salone del Mobile, Maria Porro, destacou na abertura do evento que: “Estamos experimentando novas formas de trabalhar, viajar, habitar. Um cotidiano para reconstruir o que nos desafia e nos impulsiona a nos reinventar. Toda uma indústria já está trabalhando para dar respostas sobre como os espaços em que vivemos devem se adaptar às mudanças. Este Salone é finalmente a chance de compartilhá-los”, disse.

Sabemos que a casa, nossa máquina de morar, deve representar o espirito da época em que vivemos. Nada mais real do que a necessidade de usar a tecnologia e inovação para catalisar o conhecimento e a responsabilidade entre profissionais e marcas.

Preocupação com a sustentabilidade
Na Semana do Design, as grandes marcas buscam proporcionar uma experiência de inovação completa, que inicia pelos arrojados stands, até finalizar nos tão esperados lançamentos de produtos.

Esse ano, os lançamentos de novos produtos foram poucos. Percebi um movimento diferente, uma real preocupação com o futuro do nosso planeta, levando as empresas a revisitar suas peças clássicas e trazer uma roupagem mais sustentável. Também as marcas estão mais preocupadas com um processo produtivo saudável, do que apenas com a quantidade de peças lançadas no mercado.

O exemplo da Kartell
Uma das experiências e produtos que mais me chamou a atenção no Salone del Mobile foi a da renomada marca italiana Kartell.

A empresa demonstrou o ponto de transição que se encontram, um caminho que conduzia ao mundo dos móveis produzidos por essa empresa. As peças mais simbólicas se destacavam em um corredor branco retro-iluminado, revelando sua história até chegar ao salão principal.

Lá estavam as principais apostadas da marca para seus projetos futuros. A empresa firmou seu compromisso, respeitando o manifesto: “A Kartell ama o planeta”, com peças que não se desgastam com a passagem do tempo, traduzindo sua linha e beleza italiana em um novo processo criativo sustentável.

Os avanços contínuos da ciência estão possibilitando a identificação de novas máquinas e processos mais funcionais na busca da sustentabilidade e do desempenho. Um exemplo disso são injetoras que utilizam menos matéria-prima, técnicas de transformação verde e conversão de resíduos em materiais nobres.

Entre tantos lançamentos, a cadeira Re-Chair ,do arquiteto italiano Antonio Citterio, me chamou atenção pela parceria entre duas grandes marcas illycaffè e Kartell. Além disso essa peça é produzida em escala industrial, tendo como matéria-prima as capsulas descartadas no processo de produção da empresa de café. Sustentáveis, as cadeiras têm um design descontraído e transmite leveza e solidez.

As tendências estéticas mais evidentes estavam diretamente ligadas à temática da casa como refúgio e a conexão do homem com a natureza. Tons terrosos e calmos; formas arredondadas e orgânicas; e materiais soft e comfy. Mas logo volto aqui para contar mais um pouquinho sobre a maior semana de design do mundo 😉

* Cristina Reinert é arquiteta e empresária, sócia da KZA Arquitetura

Fonte: CanalSC / Foto: Divulgação

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here