O estresse no trabalho é um problema que atinge muitos brasileiros. De acordo com uma pesquisa realizada em 2017 pelo Instituto Nacional de Seguro Social (INSS), essa doença e a depressão figuram entre as principais causas de afastamento dos funcionários.

Esse dado tão alarmante revela a necessidade desse assunto ser trabalhado nas organizações e discutido na equipe. O ambiente profissional pode causar danos psicológicos e essa situação pode se agravar quando o diagnóstico for tardio.

Se você está sofrendo com irritação, frustração, desconforto ou outras sensações parecidas, é possível que seja estresse. Por isso, não deixe de ler o post de hoje para entender quais os perigos que ele pode causar para sua saúde.

APATIA E NECESSIDADE DE ISOLAMENTO
A fadiga mental pode fazer com que você não veja mais sentido em suas atividades profissionais. É um comportamento muito parecido com a depressão, pois a pessoa só consegue demonstrar o seu desejo de ficar sozinho.

Quando o indivíduo não consegue esse isolamento, ele pode transferir seus sentimentos para outras pessoas. O nervosismo, a irritabilidade, a ansiedade e a tensão causadas por esse esgotamento psicológico, prejudicam as relações sociais.

BURNOUT
É um estágio mais elevado do estresse que é dividido em três dimensões. A primeira delas é a exaustão emocional. Ela resulta na falta de energia e entusiasmo por sensação de esgotamento. A dimensão seguinte é a despersonalização, que é a insensibilidade emocional e afastamento social.

Por fim, a diminuição da realização pessoal no trabalho é a terceira. Nela, o trabalhador tende a se autoavaliar de forma negativa. Como consequência, ele se torna infeliz e insatisfeito com seu desenvolvimento profissional. O cansaço excessivo, a perda de memória e irritação são problemas desencadeados pelo burnout.

SÍNDROME DO PÂNICO
A síndrome do pânico é um problema caracterizado por crises ou ataques de pânico. Essa sensação de medo intensa está relacionada com transtornos de ansiedade e ocorre de forma repentina e sem razão aparente.

Muitos pacientes confundem os sintomas físicos da síndrome do pânico com um ataque cardíaco ou um AVC. Isso porque a taquicardia e a falta de ar se manifestam durante a crise. Sem o tratamento correto, pode se desenvolver fobias, hipocondria e depressão.

ÚLCERA GÁSTRICA
A úlcera gástrica é uma ferida que se forma no tecido que reveste o estômago e aparece quando ocorrem alterações dos mecanismos de defesa do organismo. Por causar reações físicas, químicas e mentais no indivíduo, o estresse contribui negativamente nessas alterações.

Esse problema é caracterizado pelo aumento da secreção de ácido clorídrico no estômago. Os principais sintomas são: dor no estômago, náuseas, vômitos e dores de cabeça.

TRANSTORNO DO ESTRESSE PÓS-TRAUMÁTICO
Conhecido pela sigla TEPT, esse problema de saúde pode ser definido como um distúrbio de ansiedade e se caracteriza pela dificuldade de uma pessoa se recuperar após ter sido vítima ou testemunha de atos violentos ou de situações traumáticas.

Aqueles que vivenciam episódios de assédio moral no ambiente de trabalho, por exemplo, podem apresentar esse transtorno. Toda vez que o profissional se recorda do fato traumático, ele reage como se estivesse passando por tudo novamente, com a mesma sensação de dor e sofrimento vivido na primeira vez.

Esses são apenas alguns exemplos de doenças que podem ser desenvolvidas. Os programas de qualidade de vida no trabalho devem focar na prevenção e conscientização desses problemas, uma vez que podem ser causados por fatores ambientais e pessoais e merece toda atenção dentro das empresas.

Conhece alguém que sofre com o estresse no trabalho? Então compartilhe este conteúdo e nos ajude a conscientizar as pessoas sobre os riscos para a saúde.

Fonte: Cesta Nobre / Foto: Divulgação

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here