Estamos vivendo dias difíceis onde para todo lado que se olhe deparamos com a temática do covid-19 e a pandemia que está arrasando vidas e paralisando economias pelo mundo afora. Com centenas de milhares de mortos, o vírus ainda está longe de ser um problema do passado e está sendo noticiado exaustivamente na mídia, levando algumas pessoas a um estado de pânico e alerta constante.

O filósofo e psicanalista Fabiano de Abreu conta que este tipo de comportamento, com foco nas notícias negativas e nos problemas, causa grande prejuízo à saúde mental: “Muitas pessoas sofrem e nem sabem o motivo que as levam a estarem em constante sofrimento. Pensar demais sobre determinado assunto e de forma negativa pode ser o grande impulsionador para esses sofrimentos invisíveis que nos acometem. Não se dar um tempo para relaxar e esvaziar a cabeça é um agravante que prejudica a saúde mental de muitas pessoas. Exercite o poder do equilíbrio.”

Meditação como forma de aliviar a dor
Abreu refere que uma das melhores maneiras de restaurar o equilíbrio e colaborar com a saúde mental do indivíduo é praticar a meditação: “Chamo de meditação o momento em que silenciamos e buscamos esvaziar a mente. Nosso cérebro não para de pensar, é normal, ele está vivo e ativo com impulsos elétricos intermitentes que funcionam até mesmo na hora de dormir, por isso, sonhamos. Se depositarmos toda a nossa energia em pensamentos negativos, ou ficarmos obsessivos pensando em apenas um determinado assunto, isso afetará não só a nossa paz, trará doenças físicas e mentais, além de nos cegar para a solução.”

Somos e sentimos o que pensamos
O especialista alerta para a necessidade de treinar a mente para promover estado de bem estar: “Somos o que pensamos. É preciso condicionar a nossa mente para nos sentirmos bem. Esse momento em que enfrentamos uma pandemia e precisamos nos isolar uns dos outros nos leva a pensar em um único assunto e isso pode nos afetar psicologicamente e nos adoecer emocionalmente. Devemos treinar a nossa mente para que esse momento não seja determinante e apenas um ponto de alerta para tomarmos atitudes saudáveis, dentro do que a situação permite.”

Para ele, depende de cada um de nós promover a cura através de um posicionamento mais positivo: “Claro que os problemas alardeiam os nossos pensamentos, mas cabe a nós mesmos a busca do equilíbrio e, através dele, nutrirmos pensamentos positivos. Essa é uma maneira da tranquilidade submeter a razão para se livrar dos problemas. A mudança de ambiente, de tarefas, de conversas, engana a mente que se viciou a pensar no mesmo assunto. Agarre-se a bons pensamentos e crie situações que possam satisfazê-lo e nutri-lo de esperança para que não seja dominado pelos pensamentos negativos.”

A quarentena avançará um degrau na evolução tecnológica
Fabiano de Abreu acredita que na atual conjuntura damos um salto na evolução tecnológica
O filósofo, psicanalista e especialista em estudos da mente humana, Fabiano de Abreu que é membro da Mensa, associação de pessoas mais inteligentes do mundo com sede na Inglaterra, publicou a sua mais nova teoria em que, na atual conjuntura de acontecimentos, daremos um grande salto na evolução tecnológica.

Confira o seu texto:
“As pessoas estão conectadas à internet em todo mundo. No Brasil e nos Estados Unidos o Whatsapp é o campeão de acessos e logo em seguida vem o Instagram. Já na Europa o Messenger do Facebook e o Facebook é o mais acessado. Google, apps, sites de compras e de notícias estão no cotidiano da maioria das pessoas. Mas será que sabemos mesmo usar a internet como um mecanismo de marketing pessoal ou comercial? Ou a internet é apenas um meio de distração e onde nós afogamos na inutilidade das informações? Quantos de nós a usam com um propósito útil, funcional e enriquecedor?

Este período de quarentena está a fazer crescer o número de usuários da plataforma e, por outro lado, quem já a utilizava com frequência, está se incorporando ainda mais neste mundo conectado, definindo-o à sua necessidade.

A quarentena revelou que, os países onde às pessoas estão mais conectadas à internet não apenas como usuários mas também como meio de trabalho, tiveram menores índices de contaminação. Além disso, se adaptaram melhor ao momento já que, o confinamento é uma realidade com a qual lidam frequentemente.

A indústria da tecnologia se irá transformar! Com cultura da internet muito mais enraizada, irá dedicar-se com maior intensidade em todos os mecanismos online e isso promoverá a evolução tecnológica com base na internet e toda a sua plataforma. Seremos “quase máquinas” ligados de corpo e alma à internet? Seremos como aqueles personagens dos filmes de ficção que mostram o futuro no qual, usaremos uma retina artificial nos olhos, teremos corcunda na coluna cervical, com dedos polegares maiores e faremos sexo virtual?

Definitivamente a quarentena será um período de ruptura na nossa forma de enxergar o mundo. O indivíduo terá duas versões: o seu eu real e o seu eu virtual. No entanto, quem sabe, a implementação mais definitiva do nosso eu virtual não trará mais vantagens aos nosso eu real? A possibilidade de realizar diversas tarefas no mesmo espaço, em casa por exemplo, dá-nos a possibilidade de poupar tempo e assim investi-lo em algo que realmente nos motive.

Como seremos e o que teremos implantado não tenho uma certeza exata. Com excessão da coluna que já é notório nos jovens. Mas uma coisa é certa: seremos muito mais internautas como cliente e como empreendedores cibernéticos.”

  • Fabiano de Abreu é membro da Mensa, associação de pessoas mais inteligentes do mundo com sede na Inglaterra conseguindo alcançar o maior QI registrado com 99 de percentil o que equivale em numeral a um QI acima de 180. Especialista em estudos da mente humana, é membro e sócio da CPAH – Centro de Pesquisas e Análises Heráclito, com sede em Portugal e parceria no Brasil.

Fonte: Mfpressglobal.com / Foto: Reprodução Internet

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here