Jardins Aurora de Pinto Bandeira

Durante sete meses, Deisi da Costa e Michele Cordeiro, duas profissionais do ramo vinícola visitarão 100 vinícolas do país.

A viagem por volta de 20 mil km começa em Bento Gonçalves e terminará em Goiás. Para marcar o início da Expedição Cultural Vou de Vinho – Uma Experiência entre Vinhos e Vinhedos, as pesquisadoras Deisi da Costa e Michele Cordeiro estarão, neste sábado, na Via del Vino, Bento Gonçalves, para degustar e brindar com os amigos a partir das 14h.

Via Del Vino – Bento Gonçalves

Se não há um número oficial de vinícolas, é certo que em cada canto deste país há uma região que produz vinho. Para conhecer estes pólos, histórias, características, diversidades e similaridades, na Expedição Cultural Vou de Vinho – Uma Experiência entre Vinhos e Vinhedos, duas gaúchas irão se aventurar numa pesquisa pelo Brasil, a sommelier Deisi da Costa e a contadora e técnica em enologia Michele Zanella Cordeiro, visitando 100 vinícolas num período de sete meses.

O objetivo das pesquisadoras é escrever um livro e um e-book sobre o material recolhido e que será lançado no decorrer do ano que vem. “Nossa pretensão não é criar um guia turístico, mas contar sobre fatos pitorescos dessa viagem, o desenvolvimento da indústria do vinho e, principalmente, sobre os laços a tradição que unem as empresas visitadas”, explica Michele.

O cronograma de viagem da expedição Cultural Vou de Vinho – Uma Experiência Cultural Entre Vinhos e Vinhedos iniciará a partir de Bento Gonçalves neste sábado, às 14h30min, e a previsão é visitar a última vinícola na Serra dos Pirineus [GO]. No roteiro de viagem estudado e elaborado por Deisi, estão incluídas 24 regiões situadas no Distrito Federal e em dez estados brasileiros: Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Bahia, Pernambuco e Goiás. Serão 61 municípios visitados e calculam que rodarão mais de 20 mil kms.

A lista das vinícolas que serão visitadas, Deisi explica que, em 2018, quando retornou ao Brasil, após um período de quase dois anos na Nova Zelândia, iniciou “um relacionamento sério com as vinícolas e as regiões, estudando e atuando diretamente com os produtores e mercado brasileiro”. Com o conhecimento adquirido, “posicionei as escolhas pela qualidade do vinho e a seriedade da vinícola com o setor, sem preferências pessoais, mesmo sendo difícil deixar algumas de lado nesta primeira Expedição’’.

Sobre a inspiração da viagem, Michele e Deisi contam que a história da Expedição Cultural Vou de Vinho – Uma Experiência entre Vinhos e Vinhedos começou a ser desenhada em 2019, quando viram que além de apreciarem muito a bebida e a sua produção, tinham muitas afinidades e energia para realizarem algo inovador. “Combinamos um café que durou mais de quatro horas. Após, marcamos uma segunda reunião que durou 11 horas, quando criamos o projeto e planejamos o roteiro”, contam empolgadas e cientes dos desafios inerentes a este tipo de viagem e inciativa.

Quem são as pesquisadoras
Deisi da Costa – sommelière, com formação também no exterior. Já recebeu homenagem de Melhor Degustadora às Cegas [2018] e eleita a Melhor Sommelier do RS [2019], ambas da ABS/RS. Atualmente, além de consultora em diversas vinícolas, é criadora da página no Instagram @voudevinhooficial, onde dá dicas de rótulo e uvas para incentivar a cultura responsável e a educação para do vinho no Brasil; e fundadora da @vinhosinenglish

Michele Zanella Cordeiro
– contadora, técnica em enologia e uma apaixonada pela bebida. Também criadora da página @voudevinhooficial, é empreendedora social, cofundando e coordenando um grupo de mais de 120 mulheres na cidade de Bento Gonçalves que tem como propósito o desenvolvimento humano. Dentro das áreas contábeis e de gestão, presta consultoria e controladoria para diferentes empresas.

Fonte: Assessoria de Comunicação / Foto: Reprodução Internet

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here