Imagem: Divulgação

A Orquestra de Instrumentos Reciclados de Cateura é a primeira orquestra do mundo a usar instrumentos feitos a partir de produtos reciclados do lixo. A orquestra surgiu a partir de uma oficina de educação musical direcionada para crianças e adolescentes da comunidade de mesmo nome, formada no subúrbio de Assunção, no Paraguai.

O maestro Flávio Chavez explica que, depois de 16 anos de existência e tendo se apresentado em mais de 50 países e quatro continentes, a orquestra significa uma experiência musical para os jovens participantes e uma possibilidade de transformação para o mundo. “Foi um processo longo em que aconteceram muitas coisas. Nosso mundo está precisando de auxílio. Nosso mundo é nosso lugar, nossa casa. Não podemos ambicionar mais coisas, temos que melhorar o lugar em que vivemos”.

O grupo musical reúne jovens músicos de uma favela que se valem das toneladas de detritos jogados em uma lixeira na região onde vivem, o aterro de Cateura, o principal e maior aterro de Assunção. A característica do grupo é a interpretação de obras musicais com instrumentos reciclados, fabricados a partir de resíduos sólidos domésticos, na oficina de luteria que o grupo tem em Cateura, onde recicladores são assessorados por técnicos ambientais. Os instrumentos tocados imitam violões, violas, contrabaixos, guitarras, flautas, saxofones, trompetes, trombones e instrumentos de percussão, todos construídos com lixo. Entre seu repertório, interpretam música clássica, música folclórica, música paraguaia, música latino-americana, música dos Beatles, Frank Sinatra, entre outros.

O maestro Favio Chávez, afirma que a música faz com que as crianças locais se mantenham distantes de potenciais problemas. ”Aqui há muita droga, consumo de entorpecentes, álcool, violência e trabalho infantil. Ninguém imaginaria que num lugar desses crianças pudessem aprender valores, mas que a orquestra é como uma ilha”, comenta.

Imagem: Orquestra de Instrumentos Reciclados de Cateura

Conheça mais sobre o projeto:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here