Trinta anos atrás, o trem-bala japonês enfrentava um problema. Isso porque o ar se acumulava em sua dianteira quando o trem entrava no túnel. Essa massa de ar comprimido criava uma onda sonora que ‘estourava’ quando ele saía, prejudicando a saúde de animais, passageiros e pessoas que viviam nos arredores.

O barulho era parecido ao de um tiro. O ar também reduzia a velocidade do trem, assim como quando caminhamos dentro d’água.

Mas como solucionar esse problema?
A solução veio a partir do estudo da anatomia do bico do guarda-rios, uma pequena ave mergulhadora. Os engenheiros se deram conta de que o bico longo, afiado e pontiagudo desse pássaro é ideal para um mergulho perfeito. O bico, que se parece a dois triângulos arredondados, aumenta em diâmetro da ponta à cabeça.

Isso minimiza o impacto quando o pássaro atinge a água. Ou seja, ao mergulhar, a água flui ao redor do bico, em vez de de acumular na frente dele, exatamente o contrário do trem-bala.

Foi assim que o guarda-rios ajudou os engenheiros a projetar o novo nariz do trem-bala japonês. Ao ser testado, o novo trem foi mais rápido, silencioso e mais potente, com uma resistência ao ar 30% inferior à do modelo antigo.

Fonte: BBC / Foto: Reprodução Internet

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here