Imagem: Divulgação

O mês de novembro simboliza prevenção ao câncer de próstata. É nesse período que se intensifica a conscientização sobre a doença. O câncer de próstata é o tipo mais comum de câncer entre a população masculina, representando 29% dos diagnósticos da doença no país. Dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA) apontam para 65.840 novos casos de câncer de próstata a cada ano, entre 2020 e 2022. Homens com mais de 55 anos, com excesso de peso e obesidade, estão mais propensos à doença. O tabagismo, consumo excessivo de álcool, exposição solar sem proteção, infecção pelo vírus HPV e imunossupressão estão entre os fatores de risco para a doença que normalmente acomete homens com mais de 40 anos de idade. De acordo com o INCA, a estimativa para o triênio 2020 a 2022 é de 11.180 novos casos ao ano.

A próstata é uma glândula presente apenas no sexo masculino. Localizada abaixo da barriga e à frente do reto, ela envolve a porção inicial da uretra e é responsável por produzir o sêmen. O câncer de próstata é considerado uma doença de terceira idade: cerca de 75% dos casos ocorrem a partir dos 65 anos. Porém, independentemente da idade, o histórico familiar precisa ser observado: havendo casos próximos, o rastreio e os cuidados precisam começar ainda antes.

De acordo com o urologista Nury Jafar Abboud Filho, o câncer de próstata é uma doença indolente – sem dor – e vagarosa, podendo evoluir durante uma década inteira. Exatamente por isso, a recomendação é consultar médicos regularmente e, a partir dos 40 ou 45 anos, realizar o exame de toque retal. É através deste procedimento, concluído em dez segundos e de forma indolor, que o tumor pode ser detectado. Entre os sintomas que devem ser observados estão a dificuldade em urinar, diminuição no jato de urina, necessidade de urinar mais vezes durante o dia ou à noite e sangue na urina. “Quando o câncer é descoberto já em estágio avançado, pode já ter havido metástase, reduzindo a possibilidade de cura. Quando há detecção precoce, 90% dos pacientes são curados e permanecem com qualidade de vida”, alerta o médico.

Outra boa notícia, destaca Abboud, é que a medicina tem avançado no combate ao câncer de próstata. Em caso da necessidade de intervenções cirúrgicas, se evoluiu de operações convencionais para opções por vídeo e, mais recentemente, por meio de robôs, utilizando técnicas menos invasivas e garantindo a preservação da anatomia do paciente. “Hoje também a radioterapia concentra a radiação especificamente no órgão, diminuindo as sequelas. Nas medicações também houve modernização, através da hormonioterapia. São tratamentos que garantem qualidade de vida, até mesmo os paliativos”, acrescenta.

Com o tempo, e campanhas como o Novembro Azul, a consciência do homem sobre a necessidade de cuidar da própria saúde tem aumentado. A procura por especialistas tem sido maior e a desmistificação do exame do toque, método utilizado para detecção do câncer, têm se intensificado, resultando em cada vez mais vidas salvas. “O melhor recado que se pode deixar é este: cuidar é gostar de si. Consulte o médico regularmente. São atitudes como essas que salvam vidas”, enfatiza.

Essa é a tônica de campanhas temáticas – e permanentes – que a Liga de Combate ao Câncer de Bento Gonçalves mantém em seu escopo: entre elas ‘Estilos de vida saudáveis’ e ‘Eu cuido do que é meu’. Entre as ações do Novembro Azul promovidas pela Liga estão a realização de palestras em empresas e disseminação de conteúdo informativo, em formato digital, para a comunidade, com orientações sobre o tema.

Com informações do INCA e Exata Comunicação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here