A polenta talvez seja o prato regional que melhor identifique, na culinária, a herança deixada pela marcante presença do povo italiano na Serra. É justamente num dos municípios que mais preservam esse legado, Monte Belo do Sul, que a polenta ganha um festival gastronômico para exaltá-la como uma espécie de patrimônio imaterial da região.

Entre os dias 21 e 22 de maio, o pequeno município promove a 11ª edição do Polentaço, um evento gastronômico com cara de festa em que os sabores das cozinhas das “mammas” mesclam-se a atrativos culturais para alimentar corpo e alma. Em pleno coração da cidade, a Praça Padre José Ferlin, os grandes atrativos do Polentaço gravitam em torno, claro, da tradicional mistura de farinha de milho, água e sal.

Dois deles são marcantes e dignos de figurarem em rankings de raras estatísticas mundiais. Um é o tombo da polenta, ou seja, o momento em que ela deixa o tacho gigante, após estar pronta, para ser colocada sobre um enorme recipiente. Tudo ali é superlativo, já que são 800 quilos de polenta virados na hora. Logo depois, em porções, o prato é oferecido gratuitamente com molho para os visitantes – na última edição, em 2019, foram distribuídas mais de 4 mil delas.

Os visitantes terão dois momentos para acompanhar esse momento icônico do evento: no sábado, dia 21 de maio, às 14h45min, e no domingo, dia 22, às 14h30min.

Outra curiosa atração é a Exposição de Esculturas de Polenta. Em 2019, 30 peças foram inscritas para essa que é considerada a única mostra do gênero no mundo. O evento é levado a sério, tanto que além de exposição ocorre uma avaliação das esculturas, sendo as três melhores e o destaque da competição premiados com troféus e presentes ofertados por patrocinadores.

Neste ano, os troféus Cagliera D’Oro, D’Argento e di Bronzo, serão entregues, respectivamente aos 1º, 2º e 3º colocados, juntamente com uma cozinha Sicília (Multimóveis), dois balcões multiuso (Decibal Móveis) e uma escrivaninha (Carraro Móveis). Já o destaque, entregue para a melhor escultura feita unicamente de polenta, ganhará a Cagliera Nera e um prêmio surpresa.

O 11º Polentaço, que neste ano tem como atração simultânea a 9ª Festa do Agricultor, também é uma iniciativa para promover e valorizar a produção local. Espalhadas ao redor da principal praça da cidade, onde ainda é montado o palco para as atrações artísticas, barraquinhas comercializam vinhos, espumantes, produtos coloniais e artesanato, oferecendo um panorama das riquezas do município. Nesta edição, uma das novidades propostas pela organização do evento é a presença obrigatória de diferentes preparos a base de polenta em cada uma das barraquinhas do ramo gastronômico.

A visita a Monte Belo do Sul, município vizinho de Bento Gonçalves com cerca de 2,7 mil habitantes, é uma oportunidade para vivenciar como o tempo anda numa típica cidadezinha do interior. Ali, mesmo depois de quase 150 anos do início da imigração italiana, muitos hábitos e costumes seguem sendo cultivados, como o cultivo da uva, a lida agrícola e pastoril e, claro, o preparo da polenta.

Afinal, assim foi construída a identidade do município. E é isso que Monte Belo celebra com o Polentaço, a iguaria que alimentou o corpo de imigrantes e descendentes a fim de que eles mantivessem vivos os sonhos de uma vida melhor.

Serviço
O quê: 11º Polentaço e 9ª Festa do Agricultor
Quando: dias 21 e 22 de maio, sábado e domingo.
Onde: Praça Padre José Ferlin, em Monte Belo do Sul
Quanto: entrada franca

Fonte: Exata Comunicação / Foto: Reprodução internet

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here