A informação tem o poder de salvar vida – e por conta dessa máxima a Liga de Combate ao Câncer de Bento Gonçalves ofereceu à comunidade um painel para elucidar questões relacionadas ao câncer de mama.

A ação, integrante da programação temática do ‘Outubro Rosa’, reuniu cerca de 100 pessoas na noite de 05 de outubro, no auditório da Cooperativa Vinícola Aurora. Ali, os convidados tiveram a oportunidade de aprender com as considerações e recomendações apontadas pelos médicos especialistas Ricardo Antônio Boff (mastologista) e Lourenço Sehbe de Carli (radiologista).

Ricardo Antônio Boff detalhou os fatores de risco e, a partir deles, os métodos que ajudam a se precaver diante do câncer de mama. O médico frisou, ainda, que é preciso entender a doença como um problema de saúde pública e não individual. “O câncer de mama não afeta apenas a mulher, tem impacto também na família, nos amigos e na sociedade. Todos temos a ver com isso”, comentou.

Apesar de afirmar que os tratamentos têm evoluído, bem como a conscientização sobre o diagnóstico precoce e a prevenção, o médico trouxe números que apontam uma gravidade maior da doença no Rio Grande do Sul em comparação com o restante do País. São dados mais semelhantes, por exemplo, aos de vizinhos como Argentina, Uruguai e Chile. Uma explicação, segundo Boff, pode estar na carne vermelha, cujo consumo aumenta em 4% a cada 100 g por dia. “O recomendado é ingerir até 350 g ou 450 g por semana”, esclareceu.

Outro fator apontado por ele como importante de ser evitado é o sobrepeso. De acordo com o profissional, a obesidade estimula a produção do estrogênio, hormônio diretamente ligado com o surgimento do câncer de mama. Ainda neste sentido, Boff destacou a necessidade de se reduzir o consumo do álcool. “Bebidas alcoólicas afetam o fígado, exatamente o órgão responsável por liberar o estrogênio do corpo da mulher”, explicou. O mastologista orientou as mulheres em relação a alimentos cuja ingestão é indicada como forma de prevenir o câncer de mama. “Cinco porções de vegetais e frutas por dia. Uma recomendação é seguir a dieta mediterrânea, com nozes, azeites e poucos processados”, disse, jogando luz também na importância do consumo de vitamina D. “O ideal é manter o nível acima de 50%, por ela ser antioxidante e diminuir a agressão ao DNA.”

Rastreamento
Na sequência, o radiologista Lourenço Sehbe de Carli elucidou questões relacionadas à importância do rastreamento do câncer de mama. “É através dele que encontramos os tumores existentes em uma população assintomática. Quanto mais cedo esses tumores são encontrados, menores eles estão e, consequentemente, maior a chance de vencê-los e com custos reduzidos”, explicou. A recomendação é para que mulheres a partir dos 40 anos façam mamografia de forma anual. No caso de haver casos da doença na família, é importante que este cuidado inicie ainda antes. “Se uma mãe teve câncer com 42 anos, o ideal é que as filhas iniciem os exames a partir dos 32”, esclareceu.

Além da mamografia, De Carli frisou a importância do exame de ecografia, também principalmente a partir dos 40 anos, mas indicado igualmente antes desta idade. “Não vale a pena nunca esperar, porque o benefício do rastreamento vem sendo estudado desde as primeiras décadas do século passado. Converse sempre com o seu médico”, recomendou.

Cuidado deve ser permanente
As sensibilizações acerca do câncer de mama ganham visibilidade extra durante o mês de outubro, na campanha temática de sensibilização mundial – mas o cuidado com a saúde deve ser permanente, feito todos os dias. “Temos nos empenhado muito nesse trabalho de conscientização para levar informação e orientação às pessoas sobre a importância da adoção de estilos de vida saudáveis e da manutenção dos exames preventivos e de rotina porque são ações capazes de salvar vidas. E esse é o compromisso da Liga de Combate ao Câncer de Bento Gonçalves”, enfatiza a presidente da entidade, Maria Lúcia Gava Severa.

Além do trabalho de sensibilização, a Liga é referência no suporte assistencial para pacientes e familiares diagnosticados com a doença. Para saber mais é possível acessar o site www.ligaccbg.com.br ou visitar a sede unificada da entidade, na Rua Ramiro Barcelos, número 580, no centro da cidade, ao lado do Hospital Tacchini. O telefone é (54) 3451-4233.

Fonte: Exata Comunicação / Foto: Divulgação

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here