No último domingo, 21 de junho, iniciou-se o inverno, período responsável pelas temperaturas mais baixas do ano. Segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), o Estado mais frio do país, Rio Grande do Sul, registrou no amanhecer do dia 14 de junho as temperaturas mais baixas do ano em várias cidades gaúchas, com temperaturas próximas a 0ºC.

Além da queda na temperatura, a nova estação provoca a redução da umidade do ar e a concentração de poluentes e alérgenos aumenta. Com isso, algumas doenças características da estação começam a aparecer, como gripes, resfriados, bronquites, amidalites, pneumonias, rinites alérgicas, entre outras. Por isso, é importante estar atento aos hábitos e se dedicar à prevenção, como explica Daniela Costamilan, coordenadora do curso de Enfermagem da Anhanguera de Caxias do Sul: “a melhor maneira de combater doenças típicas do inverno é a prevenção. O tratamento, muitas vezes, pode ser simples, porém o contágio é rápido, então se prevenir é a melhor forma de enfrentar a estação com tranquilidade” – explica a professora.

Confira algumas dicas para fortalecer a imunidade:

• Lave as mãos: com a pandemia, já se discutiu amplamente a importância de higienizar as mãos. Com gripes e resfriados, é a mesma coisa. Mantenha as mãos limpas, inclusive após tossir ou espirrar, para que o vírus e/ou bactéria não continue presente.

• Mantenha-se hidratado: o inverno, geralmente, é uma estação com baixa umidade do ar, o que gera o ressecamento das vias aéreas e provoca a doença. Então, além de beber água, outra dica é colocar toalhas úmidas no ambiente, para evitar o tal ressecamento.

• Cuide da Alimentação: a alimentação saudável e a prática de atividades físicas, mesmo que em casa, ajudam a fortalecer o sistema imunológico. A ingestão de vitaminas, principalmente a C, são bastante indicadas. Alimentos como: limão, laranja, abacaxi, acerola, gengibre, couve e cenoura são os melhores para prevenção. Sopas, caldos e chás também podem auxiliar a manter o corpo na temperatura adequada.

• Tome banho de sol: a exposição ao sol é importante para aumentar a imunidade. Em caso de deficiência de vitamina D, a reposição deve ser orientada por um nutricionista.

Idosos
De acordo com a Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG), entre os principais riscos à saúde dos idosos estão a hipotermia, ausência de movimentação, infecções (gripes e pneumonias) e dores crônicas, como artrites e artroses. Para Daniela Costamilan, coordenadora do curso de Enfermagem da Anhanguera de Caxias do Sul, é preciso adotar cuidados especiais com os idosos, principalmente nesta época do ano. Mais frágeis, eles têm a imunidade e reservas funcionais mais baixas, além de menor capacidade de regular a temperatura corporal. “A terceira idade faz parte do grupo de risco, portanto, é importante estar com a vacina da gripe e a antipneumocócica em dia para evitar doenças infecciosas”, pontua.

Segundo Daniela, em caso de hipotermia, o primeiro passo é retirar o idoso do local e trocar as roupas úmidas e molhadas. Envolver a vítima em mantas e agasalhos para aquecê-la enquanto chama a emergência. Se o idoso estiver consciente, é indicado que ele ingira bebidas quentes, como chá. “A hipotermia acontece quando a temperatura basal fica abaixo dos 35º C e o corpo não consegue gerar calor. Os sintomas clássicos são calafrios, pele fria e pálida, pulsação lenta, dificuldade na respiração e lentidão dos movimentos”, alerta.

Fonte: Weber Shandwick Brasil / Foto: Reprodução Internet

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here