As altas temperaturas do verão acabam modificando alguns hábitos em casa: os banhos passam a ser mais demorados, o abre e fecha das geladeiras são mais frequentes e o uso de ventiladores vira rotina. Para amenizar a temperatura das residências, muitos usam ainda o ar condicionado, mas o uso deste conforto sem os devidos cuidados pode representar um acréscimo significativo no valor da conta de energia.

A conscientização da população a respeito do uso racional de eletricidade é constante na RGE. As dicas são simples e podem ser colocadas em prática por todos. Apenas o ato de acender lâmpadas mais tarde, quando realmente estiver escuro, usar chuveiros com consciência ou até a cor das paredes da casa podem influenciar no valor final da conta de luz.

Diante deste quadro, o mais inteligente a fazer é extrair o máximo de desempenho dos eletrodomésticos gastando o mínimo. Uma medida é procurar usar os aparelhos fora do horário de pico (entre 18h e 21h). Outra forma de buscar economia é comprar produtos com o selo PROCEL, cujo objetivo é indicar ao consumidor o nível de eficiência energética da mercadoria que está adquirindo. O selo expõe aparelhos que consomem de 12% a 26% menos energia.

Outro ponto sensível nas residências é a iluminação que, em média, representa de 15% a 20% do valor da conta de energia. O ideal é substituir as lâmpadas incandescentes, que já estão proibidas, ou mesmo as fluorescentes, pelos modelos a LED, que são inicialmente mais caras, mas muito mais econômicas. A redução no consumo com essa opção pode atingir até 80%, com iluminação mais eficiente.

Em relação a ambientes, como salas, quartos, corredores, salas de tevê, as lâmpadas podem ter uma potência menor, com mais economia. Durante o dia, sempre que possível, deve-se aproveitar a iluminação natural com menor acionamento da luz artificial. O chuveiro elétrico e a geladeira também são grandes consumidores de energia. Cada um deles representa de 25% a 35% do valor da conta no final do mês.

É importante também desligar os aparelhos sempre que não estiverem sendo usados. Os aparelhos ligados em stand-by (modo de espera) também são ladrões silenciosos de energia. Somados, todos os aparelhos em stand-by podem representar 12% do consumo de uma casa.

Dicas da RGE para economia de energia elétrica

Nos dias quentes, colocar o chuveiro na posição “verão” (o consumo será cerca de 30% menor). Em algumas cidades é possível até desligar o chuveiro, e tomar uma ducha para refrescar!

Limpar periodicamente os orifícios de saída de água do chuveiro;

Tomar banhos mais rápidos e desligar a torneira ao se ensaboar;

Nunca reaproveitar uma resistência queimada. Isso provoca o aumento do consumo e coloca em risco a segurança do usuário;

Uma boa opção também são os aquecedores solares para água, que cada vez mais possuem preços atrativos e necessitam de baixa manutenção;

Instalar a geladeira em local bem ventilado, não encostada em paredes ou móveis, longe de raios solares e fontes de calor, como fogões e estufas;

Nunca utilizar a parte traseira da geladeira para secar panos ou roupas;

Nunca colocar alimentos quentes na geladeira e não forrar as prateleiras da geladeira;

Não deixar a porta da geladeira aberta por muito tempo e não se esquecer de manter as borrachas de vedação da porta em bom estado. Um bom teste é colocar uma folha de papel, fechar a porta da geladeira e tentar retirá-la. Se a folha sair muito fácil, pode ser que a borracha já esteja precisando de atenção;

Apagar a luz ao sair de um ambiente;

Não dormir com a televisão ligada;

Não usar benjamins, o popular T (peça para ligar vários aparelhos a uma só tomada);

Acumular roupas para lavar e também para passar. O tempo para aquecer o ferro representa um consumo bem alto, é melhor que isso seja feito menos vezes;

O ferro elétrico tem regulagem de temperatura, procure separar as roupas por temperatura que serão passadas, assim pode tornar o uso mais econômico;

Limpe o filtro da máquina de lavar com frequência;

Nos banheiros, cozinhas, lavanderia e garagem, instalar lâmpadas LED. Elas iluminam melhor, duram mais e gastam menos energia. Se, para iluminar uma cozinha, utiliza-se uma lâmpada incandescente de 100 Watts, a substituição por uma modelo a LED pode trazer uma economia de até de 80%;

A substituição das lâmpadas incandescentes e fluorescentes para tecnologia LED é importante também quando pensamos no aquecimento do ambiente, sendo que a incandescente aquece muito, e a LED é fria. Não aumentando o aquecimento do ambiente, é possível se utilizar menos o ar condicionado e ventilador.

Sempre manter os ambientes o mais arejado possível. Abrir cortinas e janelas ajuda na ventilação e reduz a necessidade de ar condicionado e ventiladores, além de ser ótimo para a saúde manter o ar sempre renovado, evitando a proliferação de resfriados, por exemplo.

Quando o uso do ar condicionado é inevitável, o ideal é utilizá-lo da melhor maneira possível: evitar longos períodos ligados, utilizar a função timer, deixar durante a noite por volta dos 23º, que mantém o ar numa temperatura agradável e não provoca esforço demasiado nos equipamentos.

Os equipamentos de ar condicionado também possuem selo PROCEL, e é interessante que isto seja observado na compra, sempre buscando aparelhos com selo A.

Manter os filtros do ar limpos também é uma ótima iniciativa de economia, pois assim o motor não se esforçará mais que o ideal.

Fonte: Assessoria da RGE / Foto: Reprodução Internet

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here