A estação mais quente do ano está se aproximando e não é somente nós que sofremos com o calor excessivo. Os pets também precisam de cuidados especiais no calor. Como os animais não apresentam glândulas sudoríparas para liberar o calor, eles precisam da ajuda de outras alternativas para diminuir a temperatura corporal.

Os cães, por exemplo, transpiram através da língua, enquanto os gatos transpiram através das almofadinhas dos pés. Para evitar que os pets sofram consequências com o calor, que tal aprender alguns cuidados essenciais para garantir a saúde destes animais em dias quentes? Conversamos com a estudante de medicina veterinária, Mayara Balestreri para saber quais cuidados devemos ter com os pets.

“Assim como os humanos, os pets também sofrem com o calor, e a hidratação é um dos principais cuidados em dias de temperaturas elevadas. Os tutores devem repor os potes de água fresca sempre que podem e tem a liberdade de colocar cubos de gelo, ligar ventilador e usar tapetes gelados para refrescar o corpo do animal. Manter os pelos tosados e deixá-los sempre em ambientes arejados, que consigam relaxar.”

Mayara ressalta também para as doenças que podem surgir com a chegada do calor. Reforçando os cuidados e a atenção dos tutores. O animal exposto ao calor extremo sem os cuidados devidos, podem ter hipertermia, um problema que afeta os mecanismos que promovem a dissipação de calor fazendo com que o pet apresente um aumento drástico de temperatura corporal central.

“A atenção deve ser redobrada com o verão, as doenças virais como parvovirose e cinomose aumentam significativamente nesta estação, é preciso ficar atento com carrapatos, que podem transmitir doenças como erliquiose e babesiose quando os cães saem para passear nas praças e parques. Por conta disso e outros fatores, os tutores devem ter clareza de que essas doenças são evitadas se os animais estiver com as vacinas em dia”, ressalta.

Ela lembra que devem ser escolhidos horários apropriados para levar os pets passear, deve ser priorizado antes das 10 horas da manhã ou após às 16 horas . A dica é seguir em locais com sombra e na hora de caminhar em ruas asfaltadas, colocar mão no chão por alguns segundos para verificar se está muito quente para a pata do animal.

Manter uma alimentação saudável também auxilia na saúde dos pets, segundo Mayara, optar por algumas frutas é uma ótima opção para dias quentes.

“Frutas como melancia, manga, melão e polpa do coco verde são algumas opções, já que são frutas ricas em água. Lembre que é importante retirar todas as sementes e caroços, o tutor pode oferecer de diferentes formas sendo natural, a fruta gelada ou congelada.”

Além desses cuidados, Mayara lembra que com a chegada do verão muitos pets vão junto em viagens com seus donos e, também é preciso ter atenção. Na praia, o principal cuidado é com a areia, que pode ter microrganismos que causadores de alergias no animal, ocasionando coceira ou lesões na pele. A umidade favorece para o crescimento de bactérias e fungos que causam inflamações nos ouvidos (otite), já nos olhos, a conjuntivite pode surgir pelo combo de areia, raios solares e umidade. O sol forte pode provocar queimaduras nas patas, focinho e orelhas, por isso use protetor solar especial para cães nas áreas sensíveis.

“O cão deve sempre viajar na caixa de transporte, que deve estar forrada com jornal ou com uma toalha. O animal jamais deve viajar no porta-malas, pois não há circulação de ar e ele pode morrer sufocado. Antes de qualquer coisa é aconselhado procurar um veterinário para manter a vermifugação e a vacinação em dia e analisar o perfil do animal para definir se é necessário algum tipo de medicação por conta de enjoos”, destaca Mayara.

Ela destaca também, que mesmo em meio ao calor não é recomendado dar banho todos os dias, porque diminui a imunidade do animal e, por isso, alguns deles devem ser lavados menos vezes. Cães com problemas de pele, pode ser recomendado banho até duas vezes por semana com produtos especiais. Cães com pelagem curta podem ter um intervalo de 10 a 15 dias entre os banhos e para os com pelo longo, o intervalo pode variar de 7 a 10 dias.

“As lavagens em excesso removem camada de gordura que protege a pele dos animais, deixando-os assim, mais expostos aos fungos e alergias. O recomendado é ter uma escova de pentear para remover poeira e células mortas da pelagem diariamente”.

Mayara afirma que seguindo essas orientações é só curtição tanto para os tutores como para os pets.

“Providencie uma placa de identificação para colocar na coleira do animal, é importante que ele sempre ande com a guia, evitando sua perda. Além de manter as visitas periódicas no veterinário é a maneira correta de manter a saúde do seu amiguinho em dia. Seguindo essas orientações não tem erro.”

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here