Para sair do óbvio e se encantar com paisagens arrebatadoras, a região nordeste do Rio Grande do Sul é um baita destino pra quem quer aventura e distanciamento social.

Pela região predominam campos e florestas de araucárias. A altitude é superior à de Gramado – acima dos 900 metros, chegando a mais de 1.200 metros em alguns dos pontos mais altos e mais frios do estado.

Além de dois parques nacionais com cânions em Cambará do Sul, existem ainda cachoeiras pouco exploradas e o roteiro segue até São Francisco de Paula, mais conhecida como São Chico, onde impera a tranquilidade e os cenários bucólicos.

Cambará do Sul: terra dos cânions

Entre os estados do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina está a maior concentração de cânions da América do Sul. São dezenas de gigantescas fendas entre os paredões rochosos, que começaram a ser formadas há cerca de 130 milhões de anos e foram esculpidas por rios e cachoeiras.

Os dois principais cânions ao longo da borda da Serra Gaúcha estão em Cambará do Sul, cidade a pouco mais de 100 km de Gramado e que ostenta o título de terra dos cânions. Ambos são abertos ao público e protegidos por parques nacionais com entrada gratuita – e não é exagero dizer que estão entre os cenários mais deslumbrantes do Brasil.

O Cânion Itaimbezinho é um espetáculo com quase 6 km de extensão em uma fenda mais estreita, 720 metros de profundidade e paredes íngremes quase totalmente cobertas por vegetação. A parte superior tem duas trilhas autoguiadas, sendo a do Vértice a mais indicada para pessoas de todas as idades, já que tem apenas 1,4 km em terreno plano, boa sinalização e mirantes perfeitos para fotos. É a melhor trilha para observar a Cascata das Andorinhas e a Cascata Véu de Noiva.

O Itaimbezinho fica dentro do Parque Nacional de Aparados da Serra, que oferece uma boa estrutura turística, com estacionamento, centro de visitantes e banheiros. A partir do centro de Cambará do Sul, são quase 18 km em estrada de terra até a entrada do parque

A Trilha do Cotovelo também é de nível fácil, porém mais extensa, com 6 km ao longo da borda oposta do cânion. Já os mais aventureiros podem fazer a Trilha do Rio do Boi, pela parte inferior. É preciso contratar um guia credenciado e o acesso é feito por Praia Grande (SC).

Para visitar o Cânion Fortaleza é necessário voltar para Cambará do Sul e seguir por outra estrada de terra até o Parque Nacional da Serra Geral. Muito mais amplo que o Itaimbezinho, o Fortaleza tem 7,5 km de comprimento e 900 metros de profundidade, além de impressionantes 2 km de largura em alguns pontos, com paredões que lembram grandes muralhas.

A partir do estacionamento, há um caminho curto e plano até a borda mais próxima do cânion. Mas há também trilhas para quem quer acessar vistas ainda melhores. Autoguiada, a do Mirante é bem popular, apesar de demandar um certo esforço, já que se trata de uma subida de quase 3,5 km. No topo, é possível admirar a extensão do cânion, com toda a magnitude da natureza aos seus pés. É uma daquelas imagens que ficam para sempre na memória.

Há ainda a Trilha da Pedra do Segredo e a da Borda Sul. Independentemente do caminho escolhido, não esqueça de usar calçados confortáveis, roupas leves, boné ou chapéu e protetor solar. Leve também casaco e capa de chuva, pois o tempo pode mudar de repente. No site do ICMBio, você pode conferir informações sobre horários e dias de funcionamento dos dois parques nacionais.

Fonte: Qual Viagem

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here