Exemplo para muitos autores brasileiros, escritora gaúcha especialista em Educação Ambiental explora diversos gêneros da literatura para conhecer leitores do Brasil e do mundo. Natural de Guaporé, Rio Grande do Sul, Leni Zilioto publicou obras em pelo menos seis idiomas. A bióloga e pedagoga é autora de 19 livros e reúne mais de 30 participações em coletâneas nacionais e internacionais.

Motivada pelos contos clássicos nos anos iniciais da escola, Leni lembra de ter afirmado aos oito anos que seria escritora . Em 2001 publicou seu primeiro livro, um garimpo de todos os poemas que escreveu desde os 12 anos. Os outros gêneros literários afloraram quando migrou para o Mato Grosso, onde surgiram obras biográficas e ficção.

Confira alguns dos lançamentos de Leni Zilioto

INFANTIL
Pirulito Rodapé: é uma história para divertir e interagir, que traz magia para quem escuta e para quem lê. Tem história, tem joguinho, tem desenho para pintar e folha em branco para desenhar. Tem amor, tem carinho e muita gargalhada para dar! Pirulito é doce, é palhaço, é brinquedo de papel. É uma historinha gostosa para aproveitar com os pequenos e trazer a eles o rico universo da literatura e a alegria própria do palhaço de circo. O enredo retrata um pouco de nossa trajetória como educadores e artistas e tem o poder de nos transformar em pessoas melhores. Está traduzido para 5 idiomas: inglês, francês, italiano, espanhol e alemão.

Uma floresta, uma menina e um manequim: inspirada na saga de mulheres que migraram para o centro-oeste brasileiro nos anos 70, maioria oriunda das regiões sul e sudeste, a fim de colonizar o norte mato-grossense, a escritora Leni Zilioto escreveu o 1º volume de uma série de 5 livros que descreve e descreverá fatos e emoções desse processo social humano, em uma linguagem infanto-juvenil. Uma floresta, uma menina e um manequim – Volume 1, que já está em sua 3ª edição, foi também traduzido para o inglês. É uma leitura infanto-juvenil bem consistente, carregada de vida e detalhes da infância dos anos 50 e 60, por isso pode ser apreciada também por adultos.

ESPIRITUALIDADE E AUTOAJUDA
Nossa Senhora Mãe da Juventude: tudo o que transcende o humano tem um início e não terá fim. Assim foi e assim será a devoção à Nossa Senhora Mãe da Juventude. Uma devoção iniciada pela inspiração de Padre Osmar Burulli com o propósito de contribuir na evangelização da juventude através da parceira dos pais e dos sacerdotes para conduzir os jovens ao eternamente jovem Jesus. Em um ensaio de jornalismo, a escritora Leni Zilioto ousou, nessa obra, narrar a criação e os primeiros passo da devoção, com sua linguagem simples e que bem comunica o que quer comunicar.

POESIA
As cores e os amores: evidencia as propostas do respeito ao corpo físico – uma virtude acessível – e da ascensão espiritual – um caminho que exige encontros muitas vezes indesejados, especialmente com questões de amor e ódio. As pessoas que almejam a vitória sobre si mesmas buscam a luz através do tempo e abandonam, gradativa e sabiamente, a sombra das paixões.

Sabores ao sol: As formas, as cores, azul e mistério. O que nos reservará o futuro? Quais serão os Sabores ao Sol?

Carolinas: a saga de desbravamento é permanente. Migrantes vieram ao Brasil da antiga Europa. Os sulistas migraram para o centro-oeste e norte do Brasil. A escritora leni Zilioto também, no ano de 2011, migrou do Rio Grande do Sul para se estabelecer em Mato Grosso. Os desafios desse movimento são diferentes para cada um. Para Leni foram intensos, e, escritora que é, registrou. Sentimentos, emoções, conflitos, em prosa e pomas.

BIOGRAFIA
Eu não aceito ser mais ou menos: a obra premiada traz a história de um empresário de sucesso que irá inspirar a todos. Ao ler o livro, o leitor trilhará com ele o caminho que o levou ao sucesso pessoal e profissional, sempre em busca de ser o melhor no que faz. A perseverança, a dedicação e o foco são alguns bons ingredientes para essa jornada!

ROMANCE
A Saga de Gigantes: o clima era de festa. Natal e fim de ano provocam movimentos intensos, até mesmo em pequenos locais. A sede da agrovila fechava às 17 horas da sexta-feira e abria às 8 horas da segunda-feira, quando se poderia verificar recados recebidos pelo rádio amador. A avenida principal era pó vermelho e rebuliço de pessoas. Mateo não resistiu. Desabou em choro nos braços da mãe que carinhosamente lhe afagou os cabelos e sussurrou para o universo acolher: “Até breve, meu amor. Ficaremos bem”.

Fonte: LCAgência / Foto: Divulgação

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here