Nesta segunda-feira (04), chegou ao fim mais um impasse na batalha judicial entre Antônia Fontenellee as três filhas de Marcos Paulo, diretor global falecido em 2012 com quem a atriz foi casada. A ministra do Superior Tribunal de Justiça Maria Isabel Galloti negou o agravo no qual Antônia pedia para ser reconhecida como herdeira depois que as filhas recorreram judicialmente de sua inclusão na herança, avaliada em R$ 50 milhões. Segundo a revista “Veja”, o argumento da magistrada foi que o documento apresentado pela artista não tinha validade legal. Apesar de ser uma carta escrita pelo diretor em vida, na qual deixava 60% do patrimônio aplicado em investimentos e contas bancárias, tal escrito não havia sido registrado em cartório e estava sem a assinatura de três testemunhas, exigência do Código Civil brasileiro.

Antes da nova decisão judicial que garantiu a exclusão de Antônia da herança frente às três filhas do diretor, Wanessa, fruto da relação com Tina Serina; Mariana, do relacionamento com Renata Sorrah; e Giulia, do casamento com Flávia Alessandra, Antonia queria criar uma instituição filantrópica com o nome do diretor. “Antes de o Marcos falecer, a gente ajudava uma casa de apoio a criança com câncer, então tentei trazer isso para mim. Falei: ‘Um dia esse dinheiro vai sair e eu vou fazer o Instituto Marcos Paulo do meu jeito'”, afirmou. Em entrevista, a mãe de Salvatore havia destacado o desejo de doar parte da quantia. “Já sei o que vou fazer com este dinheiro. Não preciso de mais dinheiro. Estou muito feliz com a vida simples que eu levo. Vou ajudar quem precisa”, disse.

Fonte: Purepeople / Foto: Reprodução internet

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here