A gaúcha Anaadi conquistou o Melhor Álbum de Pop Contemporâneo em Língua Portuguesa na 19ª cerimônia do Grammy Latino, realizada na quinta-feira (15) em Las Vegas, nos Estados Unidos.

Além da categoria premiada, em que concorreu com nomes como Erasmo Carlos e Iza, Anaadi também foi indicada para Gravação do Ano, Artista Revelação e Melhor Álbum de Engenharia de Gravação.

Nas redes sociais, a cantora comemorou o reconhecimento. “Muchas Gracias a la Academia de Gravación Latin Grammys! Viva a Música Independente! Gratidão ao meu produtor musical, Leo Bracht, que concebeu e fez cada pedacinho desse disco comigo e que acreditou que a gente poderia estar aqui hoje! Esse prêmio é nosso! A todos os amigos que acreditaram nesse projeto e colocaram um pedacinho de si, muito lindo poder contar com vocês! Mãe, pai, a gente conseguiu!!!”

Ana Lonardi ficou conhecida nacionalmente após a sua participação no reality show musical The Voice Brasil, em 2013. “Noturno”, o álbum premiado, é seu primeiro disco e foi lançado de forma independente.

Brasileiros

Com os prêmios de melhor álbum de música popular brasileira e melhor canção em língua portuguesa, Chico Buarque foi o destaque entre os artistas brasileiros. Chico também concorria ao prêmio de álbum do ano no evento principal. O vencedor na categoria, contudo, foi o mexicano Luis Miguel, com o disco “México por Siempre”.

A prévia do Grammy Latino entrega 38 prêmios de diferentes categorias, entre elas as oito que são destinadas especificamente para artistas brasileiros. Veteranos como Chitãozinho e Xororó, Maria Rita e Lenine também tiveram seus trabalhos reconhecidos pela Academia Latina da Gravação.

Romantismo

A elegância e a voz poética de Jorge Drexler brilhou na cerimônia onde o uruguaio levou três prêmios, inclusive os de Canção e Gravação do Ano, e na qual a espanhola Rosalía confirmou com dois prêmios a repercussão internacional de suas músicas.

O fino elogio às novas tecnologias de “Telefonía” deu a Drexler, estabelecido na Espanha há mais de duas décadas, os fonógrafos de Canção e Gravação do Ano, enquanto seu disco “Salvavidas de Hielo” completou o “hat-trick” com o prêmio de Melhor Álbum de Cantor-Compositor.

“Eu já não sei o que dizer, queridos amigos”, declarou o cantor uruguaio visivelmente emocionado e surpreso sobre o palco do MGM Grand Garden Arena. Drexler lembrou com carinho da sua família (“Me aguentam em tantas coisas, tantas horas fora…”) e do falecido produtor e engenheiro Ernesto ‘Nieto’ García, que gravou seu disco “Salvavidas de Hielo”.

“Que viva a Ibero-América, que viva a música ibero-americana, que viva Borges, que viva Pessoa, que viva a cumbia, que viva o reggaeton, tudo. Vamos em frente”, destacou o uruguaio.

Fonte: O Sul / Foto: Reprodução Internet

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here