O Centro de Estudos e Pesquisa, do Instituto de Leitura Quindim, promoverá os cursos on-line “A obra de Lygia Bojunga: um bordado literário” e “Mulheres artistas: das lacunas aos espaços ocupados na arte nos séculos XX e XXI”, durante o mês de agosto. As aulas, abertas para todos os públicos, têm o objetivo de oportunizar a formação literária e artística de toda a comunidade.

O curso A obra de Lygia Bojunga: um bordado literário irá aprofundar o universo literário da autora gaúcha de livros infantis e juvenis, reconhecida mundialmente pela narrativa peculiar de misturar o real com a fantasia para abordar assuntos duros ligados à vida cotidiana, como o preconceitos, carência afetiva, luta pela sobrevivência, medo de crescer, morte, entre outros. Lygia ganhou os dois maiores prêmios internacionais – Hans Christian Andersen – Nobel da literatura para crianças e ALMA, dado pela coroa suéca.

As aulas serão ministradas pela autora Ninfa Parreiras, especialista na obra de Lygia, e foram divididas em dois módulos: Estendido sobre a Infância revisitada em bichos, objetos e pessoas; A metaliteratura no ‘redondo da obra’; O fazer à mão: um bordado literário; Temas polêmicos e verossimilhança; A Personagem na cena da escrita; Pra você que me lê e Boa Liga e um Novo Nicho pra Santa: escrita na paisagem; realizados nos dias 04, 06, 11, 13, 18, 25 e 27/08, das 13h30 às 16h. O módulo Padrão abordará apenas os quatro primeiros temas do módulo anterior e acontecerão nos dias 04,11, 18 e 25/08, das 13h30 as 16h04. Inscrições até dia 03/08, no site do Instituto https://bit.ly/3eUIasL

Já no curso Mulheres artistas: das lacunas aos espaços ocupados na arte nos séculos XX e XXI serão abordados temas como: Protagonismo em ascensão; Mulheres artista no Brasil: um panorama do Modernismo à Arte Contemporânea; Mulheres artistas na Arte Contemporânea: lugares em ocupação e Feminismo na Arte Contemporânea: mulheres radicais; nos dias 8, 15, 22 e 29/08, das 9h às 11h30.

O intuito é de ampliar o reconhecimento do espaço das mulheres no contexto da história da arte, um lugar majoritariamente ocupado pelos artistas homens, ou pelo menos, assim divulgado, conforme explica a ministrante doutora em Artes Visuais, mestre em Comunicação e Semiótica, especialista em Artes Visuais e licenciada em Educação Artística, Silvana Boone. “Não se trata de um posicionamento feminista, mas uma constatação sobre o quanto as mulheres produziram nos últimos 120 anos e que, por convenções datadas, ficaram à margem”, afirma.

Interessados têm até o dia 06/08, para realizar as inscrições no site do Quindim https://bit.ly/2D43cYt

Fonte: Assessoria de Imprensa / Foto: Reprodução Internet

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here