Imigrantes italianos começaram a chegar à nossa região no final do século XIX e houve um fluxo majoritariamente vêneto e lombardo e, na primeira fase, que durou de 1875 a 1910, os imigrantes preservaram seus dialetos regionais.

Com a construção da estrada de ferro que liga Caxias do Sul a Porto Alegre, o isolamento entre as regiões foi rompido, aliado ao incremento comercial e industrial. Em consequência, os dialetos menos representativos numericamente foram extintos, e os dialetos lombardos e vênetos se interinfluenciaram surgindo uma fala comum, um koiné, chamado de talian.

O talian falado no Brasil e o vêneto atualmente falado na Itália são o mesmo dialeto e, apesar de ambas as variedades linguísticas terem evoluído de forma diferente e hoje possuírem algumas diferenças, continuam mutuamente inteligíveis.

O Talian, que até hoje se faz presente no cotidiano de habitantes de Bento Gonçalves e região, foi a primeira língua a receber da República Federativa do Brasil o certificado de reconhecimento como “Língua de referência nacional e patrimônio cultural e imaterial do Brasil”, em novembro de 2014.

Em 2016 Bento o talian como língua co-oficial, ao lado da língua portuguesa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here