Imagem: Patrícia Larentis/Grupo RSCOM

Natural de Carlos Barbosa, e radicado em Porto Alegre, o cineasta I.Boca Migotto esteve na 67ª Feira do Livro de Porto Alegre autografando seu primeiro livro “Na antessala do fim do mundo”, publicado pela Editora Besouro Box. A obra de ficção foi lançada no ano passado, porém, devido à pandemia, apenas em sessões virtuais. Mas na última semana, teve sua “re-estréia” (como brinca o próprio autor) de forma presencial e com sessão de autógrafos aberta ao público. “Fiquei muito feliz com a oportunidade de relançá-lo presencialmente. Foi bastante interessante interagir com os leitores, ver o livro na banca da feira. Confesso que o frio na barriga estava mais forte que nas estreias de meus projetos cinematográficos, onde uma série de pessoas estão envolvidas. O livro é um trabalho solitário, mas libertador”, desabafou. Na próxima quinta-feira (11), às 19h30, I.Boca Migotto participará do ‘Encontro com o escritor” na Feira do Livro de Carlos Barbosa.

Em entrevista ao Grupo RSCOM durante a feira na capital, o escritor contou que esta primeira aventura literária começou como um projeto para um filme. Segundo ele, a ideia surgiu a partir da morte de seus pais e das reflexões de um filho único em processo de luto e de reconexão. “Ouvindo as pessoas dizendo que entendiam a minha dor, comecei a refletir e considerar que apenas um irmão entenderia exatamente a minha perda. Assim surgiu a ideia de realizar um filme sobre alguém que perde os pais, mas tem um irmão que vive longe, e precisa reencontrá-lo. Seria um filme protagonizado pelo meu amigo e ator Leonardo Machardo, que veio a falecer de câncer em 2018. Nesse contexto, não fazia mais sentido realizar um filme, então a ideia de transformar a história em livro foi sendo amadurecida”, explicou.

Assim, o livro “Na antessala do fim do mundo” leva o leitor de carona com Diego em sua viagem pela Ruta 40, a mítica rodovia argentina que corta o país de norte a sul e chega até Ushuaia, em busca do irmão. Boca Migotto conta que a obra tem um viés pessoal forte, misturando experiência autobiográficas com fantasias e relatos que a ficção permite explorar. “O Diego vai em busca do seu irmão e, nessa viagem, ocorrem diversas reflexões pessoais e compreensão do luto e de quem ele é. Fui escrevendo, em um primeiro momento, como forma de colocar para fora coisas que estavam trancadas em mim, que faziam parte do processo de compreensão do meu próprio luto. É um livro bem pessoal, principalmente quando relato a experiência de morte dos pais do Diego, que é a minha própria experiência”, complementou o autor.

Cinema e literatura caminham juntos nos próximos projetos de Boca. Atualmente está adaptando sua tese de doutorado para um livro que conta a história de um “certo cinema gaúcho de Porto Alegre”, e que pretende lançar junto a um documentário longa-metragem sobre o mesmo tema. Também escreve a coluna quinzenal “Mar Aberto” para o site Rede Sina.

Confira abaixo a entrevista completa com o cineasta e escritor I.Boca Migotto:

Sobre o autor:
I.Boca Migotto é natural de Carlos Barbosa e tem em seu currículo filmes e séries rodados na Serra, como: “Sapore d’Italia”, rodado em Bento Gonçalves para a RBS; “Bocheiros”, série rodada em Santa Tereza, para a TVE; “Pra ficar na história”, sobre o Henrique Fitarelli, de Garibaldi, além de vários curtas e documentários sobre a cultura italiana. Foi professor da Faculdade Cenecista de Bento Gonçalves para os Cursos de Publicidade e Propaganda, além do Núcleo de Documentários organizado na faculdade. Uma de suas principais obras é o documentário “Filme sobre um Bom Fim”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here