Elaborar seu próprio vinho se torna uma realidade mais próxima a partir de uma inciativa que permite a ação em grupo. É isso mesmo, um vinho de alta qualidade, baixo custo e onde o consumidor pode acompanhar o processo de vinificação ao vivo, da análise das uvas, vinificação, à entrega das garrafas é a proposta do enólogo capixaba Douglas Chamon, que adotou a Serra Gaúcha. Ele propõe em um projeto inovador que é desenvolvido na vinícola Mena Kaho, em Bento Gonçalves, junto com o amigo e enólogo Daniel Garbin. Trata-se do Projeto de Vinificação em Grupo surgido ainda em 2016.

Um grupo de aplicativo de mensagens mobiliza os integrantes, que aportam recursos e recebem o número de garrafas relativas ao custo de R$ 25,00. Um aporte de R$ 1 mil, por exemplo, corresponde a 40 garrafas.

Foram quatro toneladas de uvas na safra 2017, com a participação de 46 enófilos; no ano seguinte, 190 membros possibilitaram a compra de 11 toneladas, e na safra 2019 atinge 273 participantes, com aporte de R$ 280 mil, e aquisição de 25 toneladas de dez cultivares Vitis viníferas.

“O objetivo da Vinificação em Grupo é aproximar o consumidor da ciência da enologia e do vinho brasileiro. Temos adesão em quase todo o Brasil e até do exterior, mas para mim, é fundamental ampliar a participação dos moradores da Serra Gaúcha em nosso projeto”, destaca Chamon.

Enófilo há 30 anos, Chamon mudou-se de Vitória-ES para Bento Gonçalves em 2015, para cursar o superior de enologia no IFRS. No ES foram duas décadas como consultor econômico, financeiro e investimento de empresas.

Fonte: Leouve / Foto: Reprodução Internet

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here